• Blog
  • O que é data driven e como implementar na cultura da sua empresa?

O que é data driven e como implementar na cultura da sua empresa?

Gerenciadores de sucesso sabem a importância dos dados para conduzir, com eficiência, qualquer estratégia de negócios. É a partir da consolidação de informações reais que a sua empresa consegue mapear as tendências de mercado, bem como o comportamento do seu público-alvo. Com a transformação digital e o aperfeiçoamento dos aplicativos de gestão, trabalhar o Big Data tem se tornado, cada dia mais, uma realidade nas empresas.

A análise desses dados e a sua aplicação para as tomadas de decisões são conhecidas pelo termo data driven, algo como guiado por dados, e devem ser usadas para direcionar o seu marketing estratégico. Grandes corporações são referências no uso dessa técnica, tais como a Netflix, a Amazon e a Social Good Brasil.

Para saber mais sobre o que é data driven, continue a leitura e veja como aplicá-lo na sua empresa!

O que é data driven na prática?

Ao se deparar com o termo, você deve ter se perguntado: “Mais uma nova expressão para falar de dados?”. O data driven é a idealização de todos os processos tecnológicos voltados para a manipulação de dados. Isso significa que ele não é mais uma nova ferramenta operacional propriamente dia, mas uma metodologia que pode ser aplicada no dia a dia dos seus colaboradores por meio da cultura organizacional.

Com a transformação digital, muitas empresas adotaram uma postura data driven sem conhecer o conceito, como se fosse uma tendência natural devido ao novo contexto do mercado. Além disso, essa cultura pode (e deve) ser aplicada, também, em outros processos importantes para o gerenciamento eficiente do negócio.

Empresas data driven são reconhecidas facilmente. Elas têm um perfil mais estratégico, contam com um time de analistas, usam aplicativos de gestão como os BIs (Business Intelligence), apresentam resultados de crescimento surpreendentes e estão investindo, constantemente, em inovação.

Cultura corporativa

Apesar de muitas organizações terem se tornado data driven como uma resposta natural ao mercado, ainda há tantas outras que estão passando pelo processo de transição. Para tanto, você deve desenvolver um diagnóstico corporativo para identificar quais os objetivos do seu negócio e os pontos que precisam de atenção e alinhar as expectativas dos seus colaboradores.

É preciso contar com profissionais experientes das diversas áreas que compõem o sucesso do seu negócio. Além disso, para promover uma gestão de mudanças inteligente e eficaz, você deve fazer isso em conjunto com comunicadores que atuam com o público interno. Se a sua empresa ainda não tem um setor de comunicação interna estruturado, é possível contratar uma consultoria que possa participar desse projeto.

Tudo que envolve gestão de mudanças, principalmente quando há impacto na cultura organizacional, é muito sensível e precisa ser direcionado com cautela. É necessário usar elementos de comunicação persuasiva para transmitir o novo pilar data driven da organização, reduzindo ao máximo os ruídos.

Gestão de pessoas

Além disso, seu negócio precisa garantir os cuidados com o seu capital humano. Por exemplo, uma empresa que era muito voltada para o operacional e, agora, está no caminho para tornar-se data driven tem um conflito: o perfil de funcionário. Com certeza, isso precisa ser gerenciado, e a sua empresa deve estimular o desenvolvimento dos colaboradores atuais como parte da sua estratégia para ser guiada por dados.

É possível usá-lo no marketing?

Possivelmente, o seu departamento de marketing será o primeiro a vivenciar essa transição. Atualmente, é impossível falar em estratégia de marketing sem mencionar a importância da cultura de dados para o seu sucesso. Todos os planos de ações devem ser monitorados diariamente para avaliar a sua eficácia.

Tráfego Orgânico: Guia completo para conquistar tráfego para seu sitePowered by Rock Convert

Assim, os dados estão sendo muito usados de forma preditiva no gerenciamento do marketing. O acompanhamento é feito por plataformas de gestão, como é o caso do Power BI e do Google Analytics. Com elas, é possível desenvolver indicadores de performance (KPIs) que são chaves essenciais para mapear as tendências do mercado, bem como do seu público-alvo em contato com o seu negócio.

Conforme um estudo realizado pela consultoria Gartner, apresentando 100 previsões de dados e análises para 2021, o ano de 2020 deve apresentar mais de 40% das tarefas de ciência de dados automatizadas, resultando em aumento de produtividade e uso mais amplo pelos analistas.

Outro dado muito interessante aplicado ao marketing e à gestão de negócio, segundo essa mesma pesquisa, também em 2020, 40% dos profissionais de arquitetura empresarial usarão os principais indicadores para planejar, rastrear e gerenciar as ações digitais das organizações.

As principais vantagens

Com o mindset data drive, é possível validar informações relevantes que permitem que as organizações personalizem suas ações e construam um diálogo mais próximo de seus consumidores. Além disso, com esse direcionamento na cultura organizacional, a equipe estará mais apta a buscar e desenvolver soluções tecnológicas para o seu negócio. Confira, abaixo, mais algumas vantagens do marketing guiado por dados:

  • segmentação do público;
  • otimização de processos;
  • realização de testes A/B;
  • melhora da experiência do cliente;
  • possibilidade de realização de análise preditiva;
  • uso da inteligência artificial;
  • aumento da taxa de conversão de clientes.

Os equívocos comuns

Quando falamos sobre o que é data driven, estamos falando a respeito de mudanças de mindset e de direcionamento estratégico organizacional, e alguns erros nesses processos são de comum ocorrência. O primeiro deles é fazer isso sem um planejamento, um estudo, além de não desenvolver um cronograma e deixar de mensurar os impactos da ação.

Outro erro muito comum é realizar ações isoladas. Para que possamos dizer que existe uma análise sendo feita, é preciso fazer com que os dados obtidos “conversem” entre si. Ou seja, encontrar um padrão entre eles e desenvolver as estratégias a partir disso. Ter um dashboard (painel) com diversos indicadores e não fazer esse estudo não é trabalho analítico, mas, sim, de controle e monitoramento.

Os dados no marketing

Com os benefícios citados acima, é possível ter uma noção de como aplicar o data driven no marketing. Porém, não é simples esse processo. Por isso, para que fique mais claro, vamos reforçar alguns pontos para que a sua ação seja efetiva e conquiste resultados extraordinários para o seu negócio.

Gerenciamento

O primeiro deles é preparar a sua equipe para trabalhar com dados e incentivar que a realização de cursos de Big Data ou Business Intelligence. O Google Analytics Academy oferece um conteúdo gratuito e por meio do qual é possível aprender muito sobre as ferramentas que a plataforma disponibiliza para o gerenciamento de marketing digital.

Inteligência Artificial

É possível investir em tecnologia aplicada ao negócio. É, praticamente, impossível tratar de data driven sem aplicar outras ferramentas, como a inteligência artificial. Um exemplo disso é como os chatbots (robôs) conseguem coletar uma gama de dados sobre os seus leads e, ainda, reduzir o custo com o operacional.

Você deve ter percebido que trabalhar com a consolidação de dados é um processo de extrema relevância para que o seu negócio ganhe autoridade e, consequentemente, aumente o seu faturamento. Agora que você sabe o que é data driven e como esse mindset é importante para as organizações, com certeza, você já está em busca de aplicá-lo no seu negócio, não é mesmo?

Para fazer essa mudança com segurança e agilidade, a sua empresa precisa do apoio de especialistas que vão garantir a efetividade do data driven. A Via é uma agência de marketing que atua para o sucesso do seu negócio. Entre em contato conosco e conheça as nossas soluções!

E-book 10 dicas incriveis para melhorar a experiencia do usuarioPowered by Rock Convert
O que é data driven e como implementar na cultura da sua empresa?

O que é data driven e como implementar na cultura da sua empresa?

Junior Venturin Daniel

Formado em Marketing pela Universidade Vila Velha/ES. Trabalha com web desde 1999 e já participou de centenas de projetos digitais. Atualmente, dedica-se a ajudar os clientes a extraírem o máximo das oportunidades da Internet e, sobretudo, a se adaptarem às mudanças impostas pela transformação digital.