Início - Blog - Negócio escalável: o que é e quais são os fatores determinantes?

Negócio escalável: o que é e quais são os fatores determinantes?

Negócio escalável: o que é e quais são os fatores determinantes? Negócio escalável: o que é e quais são os fatores determinantes?
Negócio escalável: o que é e quais são os fatores determinantes?

No passado, criar um negócio era considerado um trabalho extremamente custoso e desafiador, apresentando riscos bastante altos. Hoje, com a transformação digital proporcionada pelo avanço das inovações tecnológicas, essa forma de encarar o ato de empreender ficou para trás.

Nos últimos anos, é cada vez mais comum que empresas alcancem um grande crescimento e resultados expressivos em um curto período de tempo. Isso é possível quando a organização define um objetivo claro, adaptando seus processos para esse fim e evitando custos adicionais para o empreendedor. Pois essa é justamente a proposta de um negócio escalável.

Se você ainda não sabe o que é isso, não precisa se preocupar. Neste artigo, separamos as principais informações sobre o assunto, desde o que é um negócio escalável e suas vantagens até como colocá-lo em prática. Acompanhe!

O que é um negócio escalável?

Empresas que adotam o modelo de negócio escalável são caracterizadas por um alto crescimento — tanto de expansão quanto de lucratividade — sem que seja necessário um aumento proporcional nas despesas para o alcance dos resultados. Ou seja, com esse tipo de negócio é possível chegar a resultados expressivos com menos recursos.

Um negócio escalável tem alto potencial de crescimento e pode até mesmo ser internacionalizado, tudo isso sem ser necessário grandes investimentos. Na prática, isso significa que a empresa deve executar ações para expandir de maneira eficiente, além de se adaptar constantemente às mudanças do mercado e sempre evoluir em qualidade e produtividade.

É claro que, de tempos em tempos, é necessário que a empresa faça certos investimentos e contrate novos profissionais. No entanto, a ideia é usar a infraestrutura e a equipe existentes com o máximo de eficiência possível, otimizando os processos e respeitando o modelo reduzido e escalável para o alcance dos resultados.

Quais as características?

O negócio escalável carrega diversas características que o diferencia de outros modelos. Apesar de cada segmento contar com demandas e particularidades específicas, a escalabilidade possui elementos uniformes em qualquer tipo de empresas onde é adotado. Saiba quais são eles a seguir.

  • Alta demanda no mercado

    O principal aspecto que caracteriza o negócio escalável é sua capacidade de fornecer produtos ou serviços em larga escala, a partir da identificação de oportunidades e das necessidades do público-alvo. Dessa forma, a empresa apresenta uma alta demanda no mercado, chamando a atenção dos clientes e com grande potencial de conquistar novos mercados.

  • Modelo ampliável

    Os empreendedores que desejam promover um crescimento contínuo em suas organizações encontram no negócio escalável a melhor opção. Afinal, o modelo permite à empresa crescer de forma exponencial, seja em escala nacional ou internacional, a partir da implementação de iniciativas em prol da melhoria contínua e da otimização de processos.

  • Padronização

    Outra característica do negócio escalável é a padronização. É por isso que as organizações que adotam esse modelo se preocupam tanto em simplificar e padronizar seus processos, pois crescer de forma desorganizada não é ser escalável. Isso permite a redução de custos e a agilidade do trabalho, ao contrário do que ocorre em uma empresa que trabalha com customização.

  • Automação

    É impossível falar em um negócio escalável sem citar a automação de processos. Isso porque essa é uma de suas principais características, agregando, principalmente, redução de custos e agilidade. E o motivo é simples: quanto mais automatizada for uma empresa, mais agilidade haverá na produção e na entrega, além de menos recursos despendidos para mão de obra e maior a inovação.

  • Baixo custo

    Por fim, é preciso destacar que um negócio escalável é capaz de suportar uma produção em alta escala e um grande volume de clientes, e isso sem ser necessário recorrer a custos adicionais. Como as despesas não crescem de forma proporcional ao crescimento da empresa, você pode direcionar os recursos para outros objetivos.

Quais os fatores determinantes?

Apesar de ser um modelo cada vez mais utilizado pelas empresas no mercado atual, a escalabilidade só é recomendada a determinadas gestões. Por isso, entender se uma empresa pode se tornar escalável é essencial. Entre os fatores determinantes para isso, estão:

  • Atender um grande número de clientes, priorizando a experiência e a satisfação do usuário;
  • Promover a melhoria contínua em processos, implantando novas tecnologias e administrando os novos recursos que vão surgir a partir do crescimento;
  • Processar uma alta quantidade de dados;
  • Implantar processos que sejam específicos e possam ser ensinados para outras pessoas;
  • Adotar um modelo de negócios ampliável, padronizado e que gere receita recorrente;
  • Oferecer um produto único e exclusivo, atendendo a uma carência do mercado.

Frente a esses fatores determinantes do negócio escalável, vale destacar que o modelo é mais indicado para startups e indústrias voltadas a áreas como comunicação e tecnologia, pois elas precisam se expandir com uma frequência maior do que outros segmentos.

Por outro lado, os negócios pouco escaláveis são aqueles que contam com uma estrutura complexa no atendimento aos consumidores — como é o caso de restaurantes, por exemplo. Por isso, cabe a cada proprietário de empresa analisar atentamente as características do modelo para saber se ele é aplicável a seus processos.

Você não deveria desperdiçar dinheiro aumentando verbas de mídia antes de melhorar a experiência para os usuários.

Vamos conversar →

Quais as vantagens desse modelo de negócio?

Agora que você já conhece as principais características do negócio escalável e como ele definido, é hora de entender quais são as suas principais vantagens. As principais são a criação de um atendimento inteligente e uma operação mais produtiva, entregando mais valor ao cliente e proporcionando uma melhora nos resultados. Saiba mais sobre esses benefícios a seguir.

  • Aumento do valor de mercado

    Como já abordamos, negócios escaláveis são sinônimo de crescimento rápido e aumento nos lucros. Graças a isso, as empresas que utilizam o modelo tendem a registrar um aumento em seu valor de mercado, permitindo que os aportes tenham mais qualidade e relevância.

    Isso acontece porque esse tipo de negócio é capaz de transformar empresas em redes de franquia, além de favorecer o investimento externo e até mesmo a presença internacional. Assim, seus processos são replicados sem que haja perda na qualidade.

    Outro fator que agrega ainda mais valor aos serviços ou produtos de uma organização é o fato de a escalabilidade passar uma imagem de alta produtividade e baixo custo. Comparado a outros negócios, isso representa uma grande vantagem competitiva.

  • Expansão do negócio

    Esta é uma vantagem que não poderia ficar de fora da nossa lista. Afinal, a oportunidade de expandir a empresa de forma bem-sucedida é um dos benefícios primordiais dos negócios escaláveis.

    Isso é possível graças à capacidade do modelo de fazer com que as companhias se adaptem melhor e mais rapidamente às mudanças do mercado, uma vez que elas têm despesas menores e processos mais otimizados.

    Desse modo, as empresas conseguem se estabelecer em seu setor de atuação mais facilmente, ajustando-se às novidades e entregam novas soluções ao público-alvo. Sem contar, é claro, que isso possibilita atrair mais clientes para a empresa.

  • Inovação tecnológica

    Quando uma empresa se torna escalável, diversas mudanças precisam ser implantadas para esse fim. E nenhuma área do negócio é tão afetada quanto a de Tecnologia da Informação (TI) — afinal, a tecnologia está por trás da maioria dos negócios escaláveis.

    Isso torna necessário que a TI reveja todos os seus processos, de modo a buscar soluções e ferramentas para atender o planejamento de um negócio escalável. Com isso, ferramentas e equipamentos ultrapassados são deixados de lado para dar lugar a tecnologias modernas e inovadoras que permitam o processo de evolução do negócio.

    Um resultado direto de todo esse trabalho é a inovação tecnológica da organização, que passa a ser fundamental no desenvolvimento do negócio. Com isso, uma pequena startup, que em condições normais não conseguiria se destacar no mercado, pode competir com marcas com décadas de atuação ao se tornar escalável e contar com novas soluções tecnológicas.

  • Eficiência operacional

    Nos últimos tópicos deste guia, abordamos que uma das características do negócio escalável é a padronização e automação dos processos. E uma das vantagens proporcionadas por esse aspecto é a mitigação de falhas e gargalos operacionais, o que permite replicar o produto ou serviço comercializado ou prestado com mais facilidade.

    Isso também contribui para que a operação da empresa se torne mais eficiente e assertiva, aumentando a satisfação dos clientes, otimizando tempo e recursos e elevando a produtividade. Consequentemente, a empresa cresce continuamente.

  • Redução no custo operacional

    O baixo investimento é outra característica importante do negócio escalável, o que faz com que a empresa possa ser ampliada sem que o proprietário precise arcar com grandes custos para isso.

    O baixo custo operacional agregado à escalabilidade representa um grande ganho estratégico, pois não é preciso depender de descapitalizações ou financiamentos, destinar os recursos a áreas que precisam e aproveitar oportunidades de mercado rapidamente quando elas aparecerem.

  • Agilidade na promoção de mudanças

    Para finalizar a nossa lista de vantagens do negócio escalável, é preciso destacar outro grande diferencial: a possibilidade do modelo de fazer com que mudanças sejam promovidas com maior agilidade. Isso porque, como a estrutura e o custo do negócio são mais enxutos, é muito mais fácil e ágil colocar as mudanças em prática, sejam elas organizacionais ou de posicionamento.

    Como o mercado se mostra cada vez mais competitivo, a agilidade para mudar e aproveitar oportunidades é imprescindível. Desse modo, é possível entender melhor quais são as necessidades dos clientes e aproveitar oportunidades vislumbradas em pouco tempo, saindo na frente dos concorrentes e garantindo a conquista e a fidelização dos consumidores.

Quais os desafios a serem superados?

Mesmo que a sua empresa tenha um bom volume de clientes e seja reconhecida no mercado, ela nunca poderá ser bem-sucedida adotando a escalabilidade se você não estiver preparado para isso. Por esse motivo é importante atentar-se aos principais desafios do modelo, de modo a escalar o negócio e construir um empreendimento de sucesso. Confira os desafios a seguir!

  • Ser uma empresa diferenciada

    Este é um desafio comum a companhias de diferentes modelos de negócio, mas mais ainda quando o assunto é a escalabilidade. Afinal, nenhuma empresa vai conseguir escalar sem oferecer algo diferente dos concorrentes.

    Por isso, é essencial pensar grande e não ter medo de inovar, adotando medidas para se destacar no mercado. Mais do que atender aos clientes, é preciso ter coragem de fazer algo inédito e oferecer soluções exclusivas e inovadoras.

  • Crescer de forma ordenada

    Se você deseja alcançar resultados consistentes, é imprescindível padronizar os processos da companhia e prezar sempre pela organização. Para adotar essas práticas em prol da escalabilidade do negócio, é preciso treinar os colaboradores para exercerem um trabalho especializado e educá-los quanto à cultura organizacional da empresa.

  • Ter agilidade e flexibilidade

    Se a agilidade e a flexibilidade são características necessárias a empresas de qualquer segmento, isso não poderia ser diferente nas que buscam ser escaláveis. Isso porque elas precisam ser capazes de se adaptar rapidamente às mudanças do mercado, tanto no que diz respeito ao aumento da demanda quanto da expansão da organização.

    Caso a empresa não seja rápida e flexível para lidar com as mudanças, ela não vai conseguir acompanhar as alterações naturais que surgem com seu crescimento, além de perder oportunidades.

  • Preparar-se para as mudanças

    Em um negócio escalável, as mudanças serão constantes. Para evitar as chances de que você seja surpreendido por algum problema, é necessário ter uma boa estratégia e se preparar, de modo a lidar com os novos desafios minimizando o máximo possível os riscos.

Como implementar a escalabilidade?

Se você nos acompanhou até aqui, já sabe as principais informações relacionadas a um negócio escalável. Sua empresa está pronta para escalar e você não vê a hora de aproveitar os benefícios do modelo, mas não sabe como fazer isso? Calma, não precisa se preocupar!

Abaixo, listamos um passo a passo com as principais estratégias para colocar a escalabilidade em prática, visando o aumento da capacidade operacional do negócio, a otimização de processos e a redução de custos. Siga com a gente!

  • Mapeie os processos da empresa

    O primeiro passo para que um negócio se torne escalável é fazer um mapeamento completo dos processos da empresa para entender como os clientes têm acesso a seus produtos e serviços. Essa visão de negócio vai permitir identificar seus pontos fortes e fracos e as oportunidades e ameaças do mercado.

    Com o mapeamento realizado, observe quais iniciativas estão sendo mais bem-sucedidas e as que precisam ser cortadas ou melhoradas. Além disso, estude a possibilidade de adotar novos processos ou ferramentas visando a otimização dos processos e o alcance da escalabilidade.

  • Reforce a cultura organizacional

    Um negócio não se torna escalável sozinho. É preciso que todos os profissionais envolvidos na organização — colaboradores, gestores, parceiros e fornecedores — sejam envolvidos nesse processo, e isso só é possível adotando uma cultura interna clara e eficiente.

    Para isso, deixe os objetivos, normas internas e estratégias do negócio bastante claras aos colaboradores, reforçando continuamente a cultura interna e alinhando as ações da empresa. Além de criar um senso de pertencimento entre os empregados e parceiros, isso vai fazer com que a empresa tenha uma identidade própria que também será reconhecida pelos clientes.

  • Invista em tecnologia

    É impossível criar um negócio escalável sem escolher boas ferramentas de gestão e investir em outras tecnologias para auxiliar o dia a dia de trabalho. Programas e softwares eficientes são essenciais para organizar processos, controlar custos e lidar com o crescimento e as mudanças constantes surgidos com a escalabilidade.

    Para escolher a melhor ferramenta para você, observe se ela é capaz de atender a uma demanda crescente, se o custo está de acordo com seu planejamento e se os dados gerados vão trazer informações estratégicas para a organização. Além disso, dê preferência a tecnologias que entreguem confiabilidade e efetividade e que tragam ganhos diretos para negócios escaláveis.

  • Capacite a equipe

    Assim como é necessário educar os colaboradores quanto à cultura interna da organização, também é importante que eles estejam cientes sobre o que é um negócio escalável e como eles podem contribuir para o alcance dos objetivos. De nada adianta fazer um planejamento cuidadoso se os recursos humanos não conseguirem executá-lo, certo?

    Nesse sentido, dê aos funcionários autonomia para tomar decisões, implante um bom plano de carreira e promova um desenvolvimento contínuo por meio de treinamentos e capacitações. Essas medidas, além de levar à escalabilidade, também vão contribuir para agilizar processos, aumentar a produtividade e reter talentos.

  • Considere a terceirização

    Sabemos que implementar a escalabilidade não é uma tarefa fácil — não é à toa que destacamos os desafios do modelo no último tópico. Para evitar que essa transformação ocorra sem grandes dificuldades, contar com bons parceiros durante o trajeto é uma boa opção.

    Aqui, a dica é observar os processos do negócio e analisar se algum deles poderia ser feito por uma empresa terceirizada. Um trabalho de marketing de conteúdo, por exemplo, pode facilmente ser terceirizado, o que vai contribuir diretamente para a redução de custos, pois a infraestrutura pode ser reduzida.

Como manter um negócio escalável?

Implantar a escalabilidade é apenas o primeiro passo nesta jornada. Durante a rotina de trabalho da sua empresa, é preciso adotar uma série de iniciativas a fim de que os resultados esperados sejam alcançados e você consiga realmente manter seu negócio escalável. Confira algumas dicas para isso:

  • trace metas e objetivos específicos: as mudanças são constantes em um negócio escalável, mas é preciso ter objetivos e metas claras e realistas. Sem elas, você pode se perder em seu planejamento;
  • promova melhorias contínuas: você deve buscar melhorar e inovar diariamente, mas sem deixar de lado a essência da escalabilidade;
  • cuidado com o orçamento: o baixo investimento é uma das marcas de empresas escaláveis e, portanto, as inovações adotadas no dia a dia não podem exigir um custo maior do que o rendimento esperado;
  • sistematize processos: invista em ferramentas e crie um manual de operações, de modo que o negócio funcione mesmo que você não esteja por perto;
  • estude o mercado: acompanhar as tendências do mercado e procurar inspirações é essencial para aproveitar oportunidades e ter o conhecimento para empreender com sucesso.

Exemplos de negócios escaláveis

É comum associar negócios escaláveis apenas a startups, uma vez que elas são os modelos mais famosos no mercado quando o assunto é escalabilidade. No entanto, startups não são os únicos exemplos e você provavelmente é cliente de diversas empresas escaláveis. Conheça algumas delas!

  1. Netflix

    A Netflix é um dos maiores exemplos de negócio escalável da atualidade. Ela consegue oferecer o mesmo serviço de streaming para todos os seus consumidores, seja para 50 ou 500 mil usuários. E independentemente da quantidade de assinantes, não há aumento de custos associado ao consumo ou necessidade de novos investimentos.

  2. Instagram

    Outro exemplo de negócio escalável é o Instagram, que segue a mesma característica da Netflix: o aplicativo oferece as mesmas funcionalidades tanto para um único usuário quanto para um milhão. Para chegar ao sucesso que é hoje, os criadores do Instagram investiram em uma proposta inovadora e em recursos que outros aplicativos ainda não ofereciam.

  3. Airbnb

    Muito popular entre os amantes de viagens, o Airbnb também faz parte de um modelo de negócio escalável. A empresa norte-americana, apesar de não ser proprietária das casas e quartos que aluga, é dona do aplicativo. Com isso, quanto mais usuários utilizam a plataforma, maior é o lucro, sem que haja grandes despesas associadas a isso.

  4. Uber

    O caso da Uber é bem parecido com a do Airbnb, assim como de outros serviços de economia colaborativa. Afinal, a empresa é uma das maiores empresas de transporte no mundo, mas sua frota de milhões de veículos pelo mundo não é sua propriedade. Ou seja, um investimento organizado e padronizado, mas com baixo custo envolvido.

A competitividade é uma das principais características do mercado atual. Frente a esse cenário, adotar modelos de negócio que agreguem maior produtividade, eficiência e agilidade aos processos é fundamental. E como você conferiu ao longo deste conteúdo, o negócio escalável é capaz de oferecer essas e outras vantagens para a sua empresa.

Portanto, aproveite todo o conhecimento que você adquiriu hoje e coloque em prática as nossas dicas para tornar sua empresa escalável, alcançar grandes resultados e chamar a atenção dos clientes.

O que você achou do nosso artigo? Já está implantando alguma iniciativa em sua empresa para torná-la escalável? Deixe seu comentário e compartilhe sua experiência com nossos leitores!

Receba novidades