LGPD: em quais pontos a nova lei impacta o marketing?

LGPD: em quais pontos a nova lei impacta o marketing?
LGPD: em quais pontos a nova lei impacta o marketing?

Saiba como esta nova lei LGPD impacta a captação e o armazenamento de dados das empresas, assim como a sua utilização no marketing.

A LGPD é uma lei criada para permitir que as pessoas tenham mais controle sobre os seus dados pessoais, regulamentando a forma com que as empresas lidam com as informações de seus usuários e clientes.

E em janeiro de 2022, a LGPD recebeu algumas atualizações, que fazem com que as empresas precisem se readequar à nova lei, para evitar sanções e multas que podem chegar a até 2% do seu faturamento anual.

O que é a lei LGPD

A nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, também conhecida como LGPD, foi sancionada no ano de 2018 pelo presidente Michel Temer.

Porém, a lei só passou a valer a partir de setembro de 2020 e no começo de 2022 foram implementadas novas regras que afetam especialmente as pequenas empresas.

Ela define regras sobre como as empresas devem agir na hora de realizar a coleta, o armazenamento e o compartilhamento dos dados de seus usuários e clientes. Seu objetivo, portanto, é proteger os dados dessas pessoas.

Basicamente, a empresa deve ter o total consentimento do usuário para coletar quaisquer dados, como nome, e-mail e até mesmo os dados de navegação (cookies).

A empresa também deve ser totalmente transparente sobre como ela vai utilizar e armazenar os dados, devendo coletar apenas os dados que serão essenciais para ela.

Outro ponto é que a LGPD obriga as empresas a permitirem que os usuários tenham acesso aos seus dados, podendo cancelar o compartilhamento deles caso desejem.

Como as mudanças na LGPD afetam o marketing?

Visto que as mudanças na LGPD exigem o consentimento do cliente na captação de seus dados e a transparência da empresa quanto a utilização deles, as estratégias de marketing devem ser adaptadas às novas normas e algumas podem vir a ser beneficiadas por essas mudanças, como veremos a seguir.

  • Marketing de conteúdo e inbound marketing

    Sem sombra de dúvida, as novas mudanças da LGPD vão incentivar ainda mais o investimento no marketing de conteúdo e no inbound marketing.

    Através da produção de conteúdo relevante de qualidade, as empresas poderão construir um relacionamento de confiança com seus com seus potenciais clientes, levando eles a fornecerem os seus dados de livre e espontânea vontade.

  • Base de leads legais e e-mail marketing

    Outro ponto importante que entrou em cena com a nova LGPD, é que as empresas devem adequar as suas bases de leads de modo que os dados possam ser utilizados legalmente.

    Para isso, os dados devem ter sido coletados através do consentimento do usuário, como, por exemplo, por meio de uma isca digital.

    E quanto ao uso de e-mail marketing, a LGPD prega que as empresas enviem e-mails apenas para os contatos que se adequarem a essa base de leads legais, evitando assim a compra de listas de contato e reduzindo os spams.

  • O que fazer para adequar a sua empresa?

    Podemos ver que é muito importante que as empresas busquem se adequar à LGPD. E para isso, elas devem buscar a ajuda de um profissional da área jurídica para guiá-la durante o processo.

    Desenvolvendo boas práticas de privacidade e proteção de dados e criando um documento de “Avaliação de Impacto de Proteção de Dados”.

Conclusão

Como já era de se esperar, o marketing é a área mais afetada por essa nova lei, pois dados de usuários são informações essenciais para as estratégias de marketing.

Porém, apesar das mudanças parecerem ruins, elas, na verdade, podem trazer alguns impactos positivos, fazendo com que o mercado evolua.

E então, esse conteúdo foi útil para você? Então compartilhe em suas redes sociais!

Solicite um orçamento Solicite um orçamento

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.